Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Espera

Pedro Simão Mendes, em 12.01.17

«O amor é como o mar: refresca corpo e alma, salga e cura as feridas. É, aparentemente, infinito e, ora revolto e selvagem, ora calmo e silencioso, é explorável à superfície ou nas suas profundezas. O amor é também como as marés: vai, e vem, por vezes cheio, por vezes vazio. E é como a chuva: leva consigo as mágoas que guardamos, apaziguando o coração.
Esta Espera deu-se à beira-mar e nela trouxe à tona três amores para contar, e a dor de, na sua ausência, aguardar. E eu fui aquele metal que, esperando junto ao mar, oxidou.»

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:11




mensagens

pesquisar

  Pesquisar no Blog