Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


ainda chego tarde

Pedro Simão Mendes em 27.05.18

sempre cheguei tarde. não sei, aliás, como chegar senão tarde. escrito a 18.04.2018

Sal e maresia

Pedro Simão Mendes em 29.04.18

Sinto a maresia sempre que os nossos corpos se abraçam. Como se ainda neles houvesse o sal que o mar deixou preso na pele. escrito a 25.02.2018

magnólia

Pedro Simão Mendes em 20.03.18

ser como a magnólia florir sem sequer ser primavera antes ainda de ver de verde cobertos seus ramos e sem vergonha mostrar suas cores. escrito a 25.02.2018

harpejo

Pedro Simão Mendes em 22.01.18

senti teu beijo tão lábil como um harpejo nos lábios cerrado o nevoeiro a pele me tocava e juro teu cheiro permanecera na madrugada escrito a 21.01.2018

Imutabilidade

Pedro Simão Mendes em 18.01.18

sinto meus sentidos cansados de ver sempre as mesmas cores de cheirar sempre as mesmas flores de sentir sempre os mesmos sabores fartos do mesmo mundo. escrito a 12.12.2017

Find your colors

Pedro Simão Mendes em 13.12.17

Words from my skin were fading under the Autumn sun. At the time my heart was aching for all the things I had done. I dived into the water where rainbows I saw. I thought I ...

frutos

Pedro Simão Mendes em 24.11.17

frutos todos ao meu alcance mas sem que nunca lhes sinta o aroma quanto mais seu sabor. aguardo no passar das estações tão estranhas estações pelas sementes. talvez as apanh...

Seco

Pedro Simão Mendes em 21.11.17

Apodreço num Outono seco que queimando se fez Verão. escrito a 14.11.2017

quando chove

Pedro Simão Mendes em 14.11.17

o mar arde-me sempre nos olhos. e eu só não trago o mar nos olhos quando chove. escrito a 21.10.2017



mensagens

pesquisar

  Pesquisar no Blog